Leitura

Livros que marcaram a minha vida

Hoje é Dia Internacional do Livro. E como não abro mão de uma boa leitura quero compartilhar com vocês alguns títulos que marcaram a minha vida.  Nesta lista têm alguns livros que me acompanham desde a infância, até títulos mais atuais como o best-seller A Culpa é das Estrelas.  Alguns me fizeram chorar, outros me arrancaram boas gargalhadas e sempre quando penso em cada um deles não consigo deixar de escapar um sorriso bobo e um suspiro.  Vamos lá!

livros

O Diário de Bridget Jones, Helen Fielding

Sem dúvida, este é um dos meus livros preferidos! A primeira vez que li o Diário de Bridget Jones tinha 20 anos. E já me identifiquei de cara com a personagem. Afinal, quem nunca prometeu fazer regime, arrumar um namorado e escreveu coisas toscas em um diário?  Gostei do primeiro livro;  amei o segundo – ri horrores com os cartões de final de ano que ela escreve bêbada para os amigos – e me recusei a ler o terceiro. Onde já se viu matar o Mark Darcy? Ridículo!  Clique aqui e baixe o arquivo em PDF

 

O Pequeno Príncipe, Antoine de Saint-Exupéry

Aprender a dar valor as pequenas coisas do dia a dia e a importância de conservar as suas amizades. Estas foram às grandes lições que aprendi com o livro preferido da minha infância, e de toda a vida. Inclusive, acho que a leitura do Pequeno Príncipe deveria ser incentivada na infância, pois assim teríamos mais adultos preparados para lidar com o sentimento dos outros, afinal: “Tu és eternamente responsável por aquilo que cativas”. Clique aqui e baixe o arquivo em PDF

 

Operação Cavalo de Troia, J. J. Benítez

Este livro me ajudou a renovar a minha fé em cultos religiosos e, principalmente, em Deus. Tirando a parte da explica de como foi criada a aeronave/maquina do tempo (que dura mais ou menos umas 20 folhas) o livro é incrível.  O trecho que descreve a via sacra de Jesus Cristo antes da crucificação me fez chorar por dias.Clique aqui e baixe o arquivo em PDF

 

O Retrato de Dorian Gray, Oscar Wide

O que você faria para conservar a sua juventude e beleza? Abriria mão dos seus valores? Essa é a grande temática do livro o Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wide. O jovem Doria Gray, literalmente se “apaixona” pelo seu retrato e a partir daí se desenrola a história.  O que mais me encantou neste romance foi à riqueza detalhes na descrição de cada cena e das reações de cada personagem. Clique aqui e baixe o arquivo em PDF

 

A Marca de Uma Lágrima, Pedro Bandeira

Ai, a adolescência! Muitas pessoas, assim como eu, devem ter se identificado com a história de Isabel, uma jovem de 13 anos – cheia de complexos com relação ao corpo e a sua beleza – que se apaixona pelo primo, Cristiano. Porém, o primo se apaixona pela sua melhor amiga, a bela Rosana.

Quem nunca viveu um amor não correspondido? E pior intermediou um relacionamento de uma amiga com a “pessoa amada”? Eu amo este livro! Li pela primeira vez aos 14 anos. E como a história permanece atual, tenho certeza que muitas adolescentes vão se identificar com ela. Quer um conselho: deixa Malhação de lado e leia esse livro.  Acredite: a história é muito melhor! Clique aqui e baixe o arquivo em PDF

 

O Caçador de Pipas, Khaled Hosseini

Com um personagem pode despertar a sua ira (pela covardia, é claro!), o seu desprezo, a sua simpatia, a sua raiva (mais uma vez) até que você se rende e passa a gostar desta “criatura”? Foi assim a minha história de ódio e amor com o Amir, do livro o Caçador de Pipas. Este livro mexeu muito comigo. Após ler o desfecho do campeonato de pipas (não vou contar a história, vai que você não leu o livro) eu não dormi a noite de tanto ódio do Amir e fiquei mais de um mês sem ler este livro.  Na época, como andava muito de transporte público tive que colocar óculos escuros (até nos dias nublados) para esconder as lágrimas em alguns capítulos.  E adotei para minha vida a frase que Hassan (melhor amigo do Amir): ‘Por você, faria isso mil vezes!’.  Clique aqui e baixe o arquivo em PDF

 

Harry Potter, J.K Rowlings

Uma das histórias mais lindas que já li. Confesso que nos primeiros livros tinha um certo pré-conceito pela saga (achava que era história de criança!). Mas, depois que li o primeiro livro me rendi e devorei os demais. Já comprei os DVDs e os livros para guardar para os meus filhos. A história transmite uma série de valores, como: amizade, lealdade, companheirismo, lutar pelo que você acredita e tanto outros que eu considero fundamentais na formação de uma criança.

 

Um Dia, David Nicholls

Este livro despertou o meu amor e o meu ódio. Eu fiquei revoltada com o final da história. Comprei o livro após a indicação de um vendedor da FNAC e resolvi ler em um carnaval em que fiquei de plantão no trabalho. Tive que ler três vezes para acreditar no que tinha acontecido com a Emma. A minha vontade era jogar o livro da janela! E mandar um e-mail para o auto –  xingando ele, é claro!-. Fiquei revoltada! Mas, apesar da história não ter acabado da forma como eu queira, eu admito que gosto de ler algo que desperte algum tipo de sentimento. A pior coisa é acabar a leitura de um livro e não ter sentido absolutamente nada. Clique aqui e baixe o arquivo em PDF

 

Memórias de Minhas Putas Triste, Gabriel Garcia Márquez

Este é um dos meus livros favoritos do Gabriel Garcia Márquez.  A história aborda o envelhecimento, solidão e o amor na sua forma mais pura. O livro é curtinho (acho que não chega nem a 100 páginas) e é uma das histórias de amor mais bonitas que já li! Clique aqui e baixe o arquivo em PDF

 

O Lado Bom da Vida, Matthew Quick

Amo o livro, amo o filme  e amo a Nikki! Quem já viveu um amor platônico, a dor da perda e o processo de ‘desapego’, fundamental para seguir em frente, com certeza deve ter se identificado com a história. Clique aqui e baixe o arquivo em PDF

 

A Culpa é das Estrelas, John Green

A história é maravilhosa. O livro narra o romance de dois adolescentes: Hazel, de 16 anos, com metástase em seus pulmões, que sobrevive graças a uma droga revolucionária e Augustus Waters, o Gus (ai, ai!), 17 anos, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Não tenho palavras para definir o Gus! Além de: Gus, casa comigo?  As reflexões do personagem sobre relacionamento são fantásticas. E me ajudaram muito em uma fase difícil da minha vida. Com ele aprendi ‘que a dor precisa ser sentida’ e a mais importante ‘a de que aceito as minhas escolhas’. Gostei tanto (mais tanto) do livro que no começo do ano escrevi um post sobre ele. Leia aqui. Clique aqui e baixe o arquivo em PDF

Bem, estes são os meus livros favoritos. O que você achou?

Beijos

Pin It

Speak Your Mind

*