Variados

malasprontas: O que fazer em Belo Horizonte?

O feriado está chegando e você já tem planos para estes dias? Que tal conhecer a cidade de Belo Horizonte?  Em julho duas amigas e eu aceitamos um convite de um amigo (que também conhecemos em uma viagem) para conhecer a capital mineira.

Já tinha visita a cidade em duas outras ocasiões – todas a trabalho – e por isso não conheci os pontos turísticos e locais bacanas para curtir à noite ou no final de semana.  A seguir, fiz uma lista com sugestões de lugares que você PRECISA visitar em BH, vejam:

Lagoa da Pampulha

Cartão Postal de Belo Horizonte, a Lagoa da Pampulha é um espaço utilizado para diversas atividades: caminhada, ciclismo, competições internacionais, entre outros. Com 18 quilômetros de extensão, o local abriga o complexo arquitetônico, com destaque para Igreja de São Francisco de Assis. Com linhas arredondadas, que lembram os morros de Minas, a igreja conta com painel externo de azulejos mostrando cenas da vida de São Francisco, assinado por Cândido Portinari. O local foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, na década de 40, a pedido do então prefeito Juscelino Kubitschek.

DIAS ESTILOSOS_IGREJA DA PAMPULHA_BELO HORIZONTE

Nos arredores da Lagoa estão o estádio do Mineirão, o Museu de Arte da Pampulha e a Casa de Baile.

Inhotim

Localizado no município de Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte, o Instituo Cultural Inhotim é um dos principais acervos de arte contemporânea e coleção botânica a céu aberto. O local foi idealizado pelo empresário mineiro Bernardo de Mello Paz, em meados da década de 80, conta com 110 hectares onde estão distribuídos obras de arte contemporânea em pavilhões, galerias e ao ar livre. São cerca de 700 obras produzidas por artistas de diferentes partes do mundo e 4.200 espécies de plantas de todos os cantos do planeta.

O lugar é incrível e muito (mais muito) bonito! Por isso, escolha um calçado confortável e muita disposição para caminhar. Infelizmente não consegui ver todas as instalações do parque =( Mas, as minhas preferidas foram: a galeria Sonic Pavilion (onde há um poço tubular de 202 metros de profundidade para ouvir o “som da terra”, ideal para deitar e descansar um pouco depois da caminhada! hehehe) e a instalação Narcissus Garden, da artista japonesa Yayoi Kusama (500 esferas de aço que flutuam sobre o espelho d’água criando formas que se diluem e se condensam de acordo com o vento).

Infelizmente não consegui visitar a obra Origem da Obra de Arte, composta 150 vasos de cerâmica em forma de letras, com mudas de 12 tipos de plantas. Por isso, vou ter que fazer o enorme sacrifício #soquenao de voltar!

Circuito do Rock

Belo Horizonte é a capital do rock.  E uma boa opção de diversão são as casa de show do Circuito Rock: Jack Rock Bar, Lord Pub e Circus Rock Bar. Visitei a última, onde assisti um show da banda cover do Pearl Jam e do Red Hot Chili Peppers. O público é variado (você encontra pessoas com pouco mais de 18 anos até mais de 60), mas a média de idade dos freqüentadores é entre 27-30 anos.  O lugar é legal e durante o intervalo entre as apresentações das bandas rolam vídeos clipes de pop rock da década de 90 e 2000. A entrada custa R$ 25 (sem consumação), mas o preço da bebida não é muito caro (o que é uma coisa boa!).

Chopp da Fábrica

O lugar onde comi o melhor espaguete à parmegiana da minha vida! O Chopp da Fábrica fica no centro de Belo Horizonte e oferece uma ampla variedade de pratos típicos da culinária mineira – em porções muito bem servidas (que alimentam dois adultos) – desde a hora do almoço até o final da madrugada (às 06h00). Desta forma, o restaurante torna-se ponto de encontro pós-balada, para acabar com a ‘larica’ da madrugada. O carro-chefe é o Mixidão, composto por feijão tropeiro, lingüiça, torresmo, arroz, couve e ovo. Uma delicia! As refeições são muito acessíveis e deliciosas! Não deixem de visitar!


Experimente – Feira de Cerveja Artesanal e Gastronomia

A Feira Experimente acontece no segundo sábado do mês, na Praça dos Quatro Elementos, em Nova Lima (Região Metropolitana de BH).  O evento conta com cervejarias de diversas partes do Brasil, show com bandas de rock, além de comidinhas preparadas por chefs convidados. O público predominante é de pessoas com idade entre 25 e 35 anos, boêmio e alternativo.


Mercado Municipal

Localizado no centro da cidade, o Mercado Central de Belo Horizonte é uma ótima opção para doces, o tradicional queijo de Minas, cachaça de alambique e também sovines. Com mais de oito décadas de vida, o mercado abriga 400 lojas e oferece serviço de informação bilíngüe (nas placas, pelo menos). Foi lá que encontrei a cachaça Maria Andante, que está guardadinha integrar a adega da minha futura casa!


Essas são as minhas sugestões. Se você mora em BH ou já visitou a cidade e deseja acrescer novos lugares a esta lista, por favor, deixe o seu comentário!!!

Beijos!

Pin It

Speak Your Mind

*